Misterio de transportes

MISTERIO  DE  TRANSPORTES
1990
103 X 60 cm.


A.V.E., Cesar, aqueles que certamente não o usam cumprimentam você.
Eu me encontro diante de um novo espetáculo, e, antes de dar o salto para a aventura, da margem da minha calçada as regras me forçam a não passar. Um pequeno boneco me dá o aviso.
As sugestões, fora das instalações, em uma caixa de correio. Pouco uso, cesta de papel não retornável.
Indicador de limpeza, pouco é usado para depositar o lixo.
Um lugar de destaque, a vista sobe e desce, representamos na bandeira.
Nós servimos como escudo para os caudilhos.
Trabalho multiplicado, doze trabalhos de identidade própria.
Seu acesso é sombrio. Não podemos ver o interior através das janelas de ambas as margens, mas as centrais, incompletas ou ausentes, imaginá-las como nossas diferentes regiões que exigem a mesma atenção em sua própria identidade.
Os cortes no orçamento não são justos.
Os espanhóis, dizia-se há não muito tempo atrás, eram portadores de valores eternos, e agora os portos são eternizados como cada espanhol é valorizado.
Brincalhão imagem, é claro, também nos diz: "Venha ..., se você puder".

MONCHOLC, até hoje. Pág: 114.
                     Dr. Abad.

.
.
.
213